4 de junho de 2018

Exército em apoio às populações na prevenção de incêndios florestais

O Ministro da Defesa Nacional, José Azeredo Lopes, e o Ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, assistiram na segunda-feira, dia 28 de Maio, à assinatura do protocolo entre o Exército, o Fundo Ambiental e o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas para trabalhos de engenharia em diversas zonas do País.

Após a assinatura deste protocolo, que decorreu junto à barragem da Ribeira da Mula, os dois governantes foram visitar as intervenções que estão em curso pela Engenharia Militar do Exército Português na Serra de Sintra.

O protocolo, que decorre da missão do Exército de colaborar em tarefas relacionadas com a satisfação das necessidades básicas e a melhoria da qualidade de vida das populações, visa a beneficiação das redes viárias e a abertura de aceiros nos Perímetros Florestais da Serra de Sintra, Serra de São Mamede, reserva natural das Lagoas de Santo André, área florestal de Sines, Mata de S. Jacinto, no Parque Natural da Serra da Estrela e zona da Costa da Caparica, na Mata dos Medos e Parque Natural da Serra da Arrábida.

O Exército Português integra o Sistema Nacional de Defesa da Floresta Contra Incêndios, colaborando em acções nos domínios da prevenção, vigilância, detecção, rescaldo e vigilância pós-incêndio florestal, na abertura de aceiros, e nas acções de gestão de combustível das matas nacionais ou administradas pelo Estado.

O Fundo Ambiental tem como missão contribuir para o cumprimento de Portugal dos objectivos e compromissos nacionais e internacionais, designadamente os relativos às alterações climáticas e aos recursos hídricos, aos resíduos e à conservação da natureza e biodiversidade, financiando entidades, actividades ou projectos.

Os trabalhos dos militares do Exército iniciaram-se no dia 15 de Maio e deverão estar concluídos até ao final de Março do próximo ano.

Prevê-se a intervenção em mais de 250 quilómetros, incluindo regularização de valetas para o escoamento de águas pluviais e o emprego de militares, viaturas e equipamentos de várias Unidades do Exército, em particular do Regimento de Engenharia nº1 (Tancos), Regimento de Engenharia nº3 (Espinho) e da Companhia de Engenharia de Combate Pesada, (Brigada Mecanizada, Santa Margarida). (Defesa)