30 de janeiro de 2016

Ministro da Defesa Nacional ouvido pela Comissão Parlamentar de Defesa

O Ministro da Defesa Nacional, Azeredo Lopes foi, esta terça-feira, ouvido pela Comissão de Defesa Nacional, na Assembleia da República, tendo iniciado a sua intervenção com a apresentação do plano de acção do actual governo para Defesa Nacional.

Azeredo Lopes centrou o seu discurso naqueles que considera os eixos fundamentais do plano de acção nesta área: a valorização dos recursos humanos e materiais, o apoio social aos militares, a valorização da participação pública na indústria de defesa e a cooperação técnico-militar.

O Ministro da Defesa referiu que a eficiência e motivação das Forças Armadas dependem da garantia governativa em relação ao acompanhamento dos recursos humanos “a todos os níveis”, tendo ainda realçado o papel do Instituto de Acção Social das Forças armadas (IASFA) e a necessidade de “clarificação dos objectivos da estrutura na dimensão de acção social complementar”.

Azeredo Lopes afirmou também que pretende “manter e consolidar” as Forças Nacionais Destacadas (FND) e prosseguir uma “aposta no sistema multilateral” das missões realizadas no âmbito das Nações Unidas, considerando que as mesmas se assumem como "um retrato forte daquilo que é a política nacional externa”.

No que respeita às indústrias de defesa, o Ministro da Defesa assumiu o seu distanciamento relativamente ao anterior governo, defendendo a necessidade de uma salvaguarda da “participação nacional relevante na indústria de defesa”, recorrendo ao investimento, ao estímulo e ao desenvolvimento constantes.

Naquela que foi a sua primeira audição enquanto MDN, Azeredo Lopes realçou ainda a importância de usar a comunicação em prol da defesa, auxiliando os cidadãos na compreensão e absorção voluntária da importância da política de Defesa Nacional. (Defesa)