22 de novembro de 2016

Força Aérea portuguesa interceptou dois bombardeiros russos

A Força Aérea Portuguesa confirmou esta terça-feira que interceptou e acompanhou dois bombardeiros russos, na madrugada de quinta-feira da última semana, em espaço aéreo internacional sob responsabilidade portuguesa, de acordo com a notícia avançada esta segunda-feira pelo Correio da Manhã.

Os bombardeiros estratégicos russos, dois Tupolev-85, levavam o sistema de localização desligado, motivo pelo qual não emitiam sinal nem respondiam a comunicações, ficando “invisíveis” à aviação civil, escreve o mesmo jornal.

Antes de sobrevoarem o país, os dois caças atravessaram todo o Norte da Europa e foram acompanhados por caças de outros países. Assim que começaram a sobrevoar a costa portuguesa foram acompanhados por duas aeronaves F-16 da Força Aérea que levantaram voo da base de Monte Real.

O fato de irmos ter com eles e de os acompanhar não está relacionado com qualquer ameaça militar, mas sim com o facto de Portugal ter de garantir a segurança do tráfego aéreo civil” disse à Lusa o porta-voz da Força Aérea, o coronel Rui Roque referindo que se trata de “um procedimento comum”.

Ao chegarem a Sagres, os aviões russos voltaram para trás, não chegado a entrar em espaço aéreo português. Entraram apenas em espaço aéreo internacional sob jurisdição portuguesa e não chegaram a constituir qualquer ameaça, segundo fonte oficial da Força Aérea Portuguesa.

O espaço aéreo de soberania é o que está por cima do continente e das regiões autónomas, acrescido de 12 milhas de mar” disse o coronel, sublinhando que no espaço aéreo de soberania não há entradas autorizadas. (Observador)