17 de janeiro de 2017

Marinha "recruta" pássaro para combater doença

A Marinha de Guerra está a instalar ninhos na Base Naval de Lisboa, no Alfeite, no sentido de atrair uma pequena ave, o chapim, para combater a praga da lagarta do pinheiro, que constitui uma séria ameaça a esta espécie arbórea.

A campanha foi anunciada no site da Armada e na respectiva página no Facebook, que reporta inclusive uma imagem guerreira do chapim, produzida pelos criativos da Marinha, para melhor chamar a atenção para a importância e necessidade da iniciativa.

A utilização do chapim no combate à lagarta do pinheiro tem ainda como intuito "reduzir o uso de insecticidas, beneficiando o ambiente e as explorações agrícolas", como destaca a Marinha de Guerra no seu site.

Nos últimos anos a Base Naval de Lisboa já replantou cinco mil pinheiros nos seus 130 hectares de área, mas na sua maioria as árvores já começaram a ser atacadas pela lagarta do pinheiro, voltando a ameaçar aquela espécie florestal. Daí que o comando da infraestrutura militar tenha começado a instalar 50 ninhos artificiais, para atrair o chapim, uma vez que é nesta altura que as aves começam a procurar um espaço seguro para nidificar. Uma vez que o chapim se alimenta de invertebrados, incluindo a lagarta do pinheiro, a Marinha espera que a pequena ave ajude a combater a praga.

A Base Naval está localizada na Margem Sul do Tejo e embora acolha toda a esquadra, a Escola Naval, o Arsenal do Alfeite e o Corpo de Fuzileiros e zonas para instrução dispõe de uma grande mancha florestal, que devido ao facto de estar inserida numa zona militar é totalmente imune às pressões urbanísticas. (JN)