26 de maio de 2017

Portugal vai apresentar plano para aumentar despesa com Defesa

Portugal vai apresentar o seu plano nacional para atingir a meta de 2% do Produto Interno Bruto na área da Defesa Nacional no espaço de uma década, afirmou o Ministro da Defesa Nacional, Azeredo Lopes, numa declaração no final da Cimeira da Aliança Atlântica, que decorreu em Bruxelas.

Na Cimeira, em que Portugal esteve representado pelo Primeiro-Ministro António Costa e pelos Ministros dos Negócios Estrangeiros, Santos Silva, e da Defesa Nacional, foram especialmente discutidos o processo de aumento das despesas de Defesa, conforme decido na cimeira de Gales de 2014, e o combate ao terrorismo, nomeadamente ao grupo terrorista Daesh.

Azeredo Lopes disse que, relativamente ao aumento da despesa com Defesa, «a posição portuguesa, expressa pelo Primeiro-Ministro, foi a de que Portugal honrava, evidentemente, todos os compromissos assumidos e obrigações internacionais».

«Por conseguinte, Portugal, insistindo na necessidade de um compromisso entre todos os Estados e também a que se olhasse às características específicas do contributo de cada um, evidentemente veio confirmar que apresentaria, como aliás combinado entre todos os Estados-membros, o seu plano nacional, no fundo a exposição nacional sobre o faseamento e o modo como tenciona cumprir ou procurar alcançar estes valores de referência», afirmou o Ministro da Defesa.

Azeredo Lopes acrescentou que «esse plano está a ser trabalhado e não está já concluído», embora seja «de esperar que na reunião de Junho de Ministros da Defesa da NATO já haja algumas ideias um pouco mais claras sobre este assunto, sendo certo que a obrigação de concretizar realmente o que seja esse plano e a sua projecção plurianual é algo que cabe ao Estado português realizar até ao final de 2017».

A cimeira reuniu os Chefes de Estado ou de Governo dos 28 membros da Aliança Atlântica e o do Montenegro, cuja adesão ao ratado do Atlântico Norte será efectiva a partir do início de Junho. (Defesa)