19 de junho de 2017

Exército pára exercício para combater fogos

Parte dos militares do Exército que estão a apoiar os bombeiros no fogo de Pedrógão estavam a participar num exercício militar em Beja, que foi interrompido para aumentar a resposta às necessidades da Protecção Civil, segundo soube o JN.

O Estado-Maior do Exército confirmou a informação e adiantou que o exercício em causa era o Orion17, em Beja - o exercício anual que é o mais importante do ramo terrestre das Forças Armadas.

De acordo com a mesma fonte, a ordem partiu do tenente-general Faria Menezes, que, em comunicação do chefe do Exército, general Rovisco Duarte, mandou retirar um batalhão de pára-quedistas que estava no Orion17. Faria Menezes mandou a força regressar ao quartel de Tancos logo que a situação começou a perigar, para ficar pré-posicionado e em situação de alerta.

Foi esta medida que permitiu ao Exército conseguir responder de imediato quando a Protecção Civil pediu reforço de meios militares e ao mesmo tempo com garantias de uma reserva credível, a nível de homens e meios. (JN)