17 de julho de 2014

Marinha e Universidade do Porto participam em exercício conjunto com a NATO

A Marinha e a Universidade do Porto estão a participar, desde 7 de Julho, no exercício REP14-Atlântico (Recognized Environmental Picture Atlantic 2014), em conjunto com o NATO Centre for Maritime Research and Experimentation, sediado em Itália.

Este exercício, que decorre até 24 de Julho nas áreas marítimas a sul de Sesimbra e Sines, visa testar redes de veículos marítimos não tripulados em operações de guerra de minas, de protecção portuária, conhecimento ambiental, busca e salvamento.

No final da apresentação dos equipamentos e das missões empenhados no REP14-Atlântico, a bordo dos navios “Gago Coutinho” (Marinha portuguesa) e, posteriormente, “Alliance” (NATO), o ministro da Defesa Nacional destacou a “cooperação exemplar” entre as entidades – civis e militares – envolvidas no exercício.

“Da conjugação desta dupla realidade pode nascer (…) uma capacidade de desenvolvimento mais rápida” frisou o José Pedro Aguiar-Branco, acrescentando que “quando trabalhamos para o mesmo objectivo e trabalhamos em conjugação de esforços, significa que o resultado final é melhor para o País. Para o titular da pasta da Defesa Nacional, estas missões conjuntas não permitem apenas “um custo associado mais pequeno”, mas também um “risco humano” mais baixo.

Aguiar-Branco relembrou ainda que já existem algumas utilizações práticas em curso, num projecto que já tem vindo a ser desenvolvido nos últimos cinco anos e que “começa agora a atingir um estádio de maturidade”.

“Este é um projecto de investigação e desenvolvimento que significa que, indo à frente, vai criando e explorando novas capacidades para que, num futuro próximo, possa também ser aplicado, quer da dimensão civil quer da dimensão operacional”, referiu ainda o ministro da Defesa Nacional.

O REP14-Atlântico focou-se, numa primeira parte, na Guerra Submarina, através do uso de plataformas de sensor autónomo e, posteriormente, nas comunicações acústicas debaixo de água. Para além do NRP Gago Coutinho e do NRV Alliance estão empenhados, neste exercício, o NRP Pégaso, o NRP Auriga, o NRP Arpão (submarino) e alguns veículos marítimos não tripulados, equipados com sensores acústicos, câmaras de infravermelhos e sonares laterais, entre outros. (DN)