4 de setembro de 2014

Cimeira da NATO começa em Cardiff, com Afeganistão e Ucrânia na agenda

O primeiro-ministro português, Pedro Passos Coelho, participa hoje e sexta-feira na Cimeira da NATO, em Cardiff, no País de Gales, que terá como tópicos dominantes o Afeganistão e a crise na Ucrânia.

Os trabalhos da Cimeira arrancam ao início da tarde, com uma reunião de chefes de Estado e de Governo sobre o Afeganistão, estando prevista uma cerimónia de homenagem aos militares que participam nas operações no país.

Segundo fonte do gabinete do primeiro-ministro, em relação ao Afeganistão é de esperar que “decisões capitais” sobre os avanços no país sejam adiadas, mas de todo o modo, e apesar das “muitas zonas cinzentas” ainda existentes, será reafirmado o apoio às autoridades do país.

O presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, vai também participar na cimeira da NATO, marcando presença no debate sobre o Afeganistão. Segundo anunciou um porta-voz da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso deverá reiterar o apoio da União Europeia ao Afeganistão, na sessão em que participam os líderes da NATO e dos países associados à Aliança Atlântica, além dos Estados que formam a missão aliada no Afeganistão (ISAF).

De seguida terá lugar uma reunião sobre a Ucrânia. A principal decisão face ao conflito em curso na Ucrânia deverá ser a aprovação do anunciado destacamento de uma força de resposta rápida da NATO para o leste da Europa, que o secretário-geral, Anders Fogh Rasmussen disse que será composta por “vários milhares” de tropas e o New York Times noticiou serem 4.000.

O primeiro de trabalho ficará concluído com um cocktail oferecido pelo Príncipe de Gales aos chefes de Estado e de Governo, ainda antes do jantar de trabalho dos líderes da NATO.

Na sexta-feira, o primeiro ponto da agenda será a observação de um show aéreo de aparelhos dos Estados membros da NATO, a que se seguirá a primeira sessão da reunião do Conselho do Atlântico Norte (NAC, em inglês),

Antes da segunda sessão da reunião terá lugar o almoço dos chefes de Estado e de Governo.

Para o final está prevista a habitual conferência de imprensa nacional com o primeiro-ministro a apresentar as conclusões do encontro.

Fonte do gabinete do primeiro-ministro adiantou à Lusa que durante a Cimeira haverá oportunidades para afirmar a presença “fiável” de Portugal na NATO e debater temas que interessam em concreto ao país, casos da “operacionalização de uma estratégia de segurança marítima”, que deverá passar pelo reforço do papel da aliança.

Passos Coelho participará na Cimeira da NATO acompanhado pelo ministro dos Negócios Estrangeiros, Rui Machete, e pelo ministro da Defesa, José Pedro Aguiar-Branco. (O Observador)