27 de outubro de 2014

Mini-vaivém da Boeing esteve 674 dias em órbita numa missão secreta

Pequeno clone dos antigos vaivéns da NASA não tripulado regressou à Terra depois de dois anos em voo orbital. Estados Unidos continuam a depender das naves da Rússia para levar os seus astronautas para a estação ISS

Era já noite cerrada na Califórnia quando um clone mais pequeno dos antigos vaivéns da NASA, que há três anos estão parados em museus, aterrou discretamente, a 17 de Outubro, na Base Vandenberg da força aérea americana - conhecida pelos seus trabalhadores como o sítio pacato dos lançamentos espaciais da América.

É um nome certeiro: a chegada do veículo não tripulado X-37B, depois de 674 dias consecutivos na órbita da Terra, foi um acontecimento recatado, que a base anunciou num press release com data desse mesmo dia.

Numa altura em que os voos de ida e volta para órbita deixaram de ser uma rotina dos vaivéns da NASA, depois de o programa ter sido cancelado em 2011, e quando o futuro das viagens espaciais tripuladas continua em debate nos Estados Unidos, sobretudo porque o país continua a depender das naves Soyuz da Rússia para levar os seus astronautas para estação espacial ISS, ao preço de 70 milhões de dólares por cada lugar, a discreta aterragem não podia deixar de ter repercussões nos media. (DN)