2 de dezembro de 2014

As Forças Expedicionárias Marítimas serão determinantes nas “operações da NATO”

“Estou convicto de que as Forças Expedicionárias Marítimas terão um papel determinante nas Operações da NATO”, afirmou o ministro da Defesa Nacional, José Pedro Aguiar-Branco, na abertura da conferência da Strike Force NATO (STRIKFORNATO), que decorreu esta manhã, em Oeiras.

A necessidade de meios operacionais mais rápidos, mais eficientes e mais eficazes justificam a importância crescente deste tipo de forças e das quais a STRIKFORNATO é a principal responsável.

Para o ministro da Defesa Nacional, as ameaças crescentes e os “desafios multipolares” que caracterizam o actual ambiente de segurança irão forçar a Aliança a adaptar-se a uma nova realidade, onde as operações expedicionárias marítimas constituem “um instrumento fundamental”.

Para dar um novo impulso às Forças Navais Permanentes da NATO - que sofreram um desinvestimento em consequência dos elevados recursos empenhados no Afeganistão – José Pedro Aguiar-Branco considera fundamental que se desenvolva agora o treino e o exercício militares.

O ministro da Defesa Nacional adiantou ainda que o exercício Trident Juncture 2015, no próximo ano, permitirá a certificação da NATO Response Force e do uso das forças expedicionárias. “A NATO precisa de estar preparada para encarar os desafios e as ameaças futuras e as Forças Expedicionárias Marítimas são um recurso vital que deve ser potenciado”, concluiu. (Defesa)