26 de janeiro de 2017

Autarcas da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo querem a reabertura da Base Aérea de Tancos

Os autarcas da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo (CIMT) querem a reabertura da Base Aérea de Tancos para acolher da base aérea n.º 6 do Montijo, que poderá ser encerrada para ali se instalar o novo aeroporto da Grande Lisboa.

"Considerando que se perspectiva que a Força Aérea deixará de operacionalizar a Base Aérea n.º 6, no Montijo, para aí ser instalado o novo aeroporto de Lisboa, é opinião dos Autarcas da CIM do Médio Tejo que a opção natural para sediar as aeronaves de transporte C-130 e C-295, aquando da transferência daquela Base, seja o Polígono Militar de Tancos, em Vila Nova da Barquinha", refere um comunicado da CIMT, emitido após a reunião do Conselho Intermunicipal realizada a 20 de Janeiro.

Entre as várias justificações apresentadas, os autarcas do Médio Tejo lembram que é em Tancos que se realizam os treinos de lançamento dos para-quedistas da Brigada de Reacção Rápida do Exército, bem como a preparação e projecção de várias Forças Nacionais Destacadas; a base fica no centro de Portugal pelo que a futura opção política de dotar a Força Aérea com meios para combate a fogos florestais terá que ter uma sede operacional em local de centralidade territorial; e que em Tancos já existem servidões militares constituídas, espaço livre e público no Polígono para poder alargar o Aeródromo Militar e para instalar as diferentes esquadras de transporte da Força Aérea e as suas esquadras de helicópteros. (RedeRegional)