2 de junho de 2017

“Simplex” na desmilitarização, desmantelamento e alienação de equipamentos e sistemas de armas

Portugal tornou-se o 4º país aliado da NATO a aderir à parceria D3 - Demilitarization, Dismantling, and Disposal, da Agência de procurement da NATO, no dia 30 de maio. Esta parceria tem por missão alienar, desmilitarizar e desmantelar os equipamentos e sistemas de armas obsoletos, procurando a sua reutilização ou eliminação seguindo a política dos “3 R” – Reduzir, Reutilizar, Reciclar, da forma mais rentável possível, garantindo a segurança adequada e a proteção do meio ambiente.

Com a adesão ao D3 da NSPA, as Forças Armadas poderão dar um melhor destino ao material militar que se encontra em “fim de vida”, rentabilizando-o. Enquanto as Indústrias de Defesa nacionais, nomeadamente as empresas ligadas a estes sectores, terão acesso a todos os concursos desta parceria, bem como, eventualmente, a possibilidade de desenvolvimento de acções de cooperação com indústrias das actuais Nações-membro do programa, gerando assim novas oportunidades para as Indústrias de Defesa.

A adesão de Portugal à parceria NSPA/D3 insere-se no vasto conjunto de iniciativas da Defesa Nacional que visam contribuir para um compromisso crescente da Defesa com o Ambiente e com a promoção da Economia Circular.

Para além de Portugal, fazem parte da parceria NSPA/D3, a Dinamarca, a Itália e a Turquia. Existem ainda cinco países na condição de observadores – Alemanha, Finlândia, Noruega, Bélgica e Ucrânia.

A NSPA/D3, criada em 2013, insere-se no projecto SMART DEFENCE da NATO, que incentiva os Aliados a cooperar no desenvolvimento, aquisição e manutenção de capacidades militares, para fazer face aos actuais problemas de segurança, ao longo de todo o ciclo de vida dos equipamentos. (Defesa)