24 de março de 2018

Fragata da Marinha na nova missão de controlo de fronteiras da União Europeia

Durante o período de 26 de Março a 5 de Junho de 2018, a fragata D. Francisco de Almeida irá participar na operação internacional conjunta “THEMIS” de segurança marítima, no âmbito da Agência Europeia de Fronteiras e Guarda Costeira – FRONTEX, no Mediterrâneo Central.

O Estado português, através do SEF e com o apoio da Marinha, disponibiliza mais uma vez capacidades humanas, técnicas e materiais numa operação internacional, liderada pela União Europeia, que tem por objectivo o controlo da migração irregular em direcção às fronteiras externas da Europa Europeia e outras formas de crime transnacional

Esta missão, enquadrada no esforço europeu de controlo das fronteiras externas marítimas, será coordenada pelas autoridades italianas e conta com a participação de diversos meios marítimos, navais e aéreos de várias organizações e países da União Europeia.

Em colaboração com os Estados-Membros (EM), a Agência Europeia FRONTEX identificou zonas onde o fluxo migratório requer uma maior atenção. Para esse efeito, foram criadas áreas onde se desenvolvem operações conjuntas, em que os EM são convidados a participar, cooperando entre si sob coordenação do país que exerce jurisdição. Nesse sentido, Portugal disponibilizou a fragata da Marinha D. Francisco de Almeida para participação nesta operação.

Durante este período de 72 dias, o navio irá patrulhar as áreas atribuídas do Sul de Itália, entre o Norte de África e Leste da Europa, realizando cerca de 1.000 horas de navegação na vigilância das fronteiras externas, no apoio a operações de busca e salvamento em massa de migrantes náufragos, e também na prevenção e deteção de crimes transfronteiriços tais como o tráfico de migrantes, o narcotráfico, o tráfico de armas, entre outros.

A fragata “D. Francisco de Almeida” possui uma guarnição de 168 militares, incluindo duas equipas de abordagem de Fuzileiros, uma equipa de mergulhadores e uma equipa médica.

A bordo segue igualmente um inspector do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras e dois oficiais de ligação Italianos (Guardia di Finanza e Guardia Costiera). (Emgfa)