6 de agosto de 2014

A Força Aérea do Uruguai vai comprar dois C-212 300 da Força Aérea de Portugal

Dois aviões C212-300, do fabricante Airbus Defense and Space pertencentes à Força Aérea Portuguesa , que os substituiu por aeronaves Airbus C-295 foram finalmente escolhidos pela Força Aérea Uruguaia para incorporar ao seu Esquadrão Aéreo Número 3 (Transporte ), localizado na base Aérea N º 1-Carrasco-adjacente ao principal aeroporto internacional do Uruguai.

Assim, em 25 de Julho ,foi assinado em Lisboa um protocolo de intenções entre as autoridades do Ministério da Defesa português e o Chefe do Comando Aéreo Logístico da Força Aérea Uruguaia, o brigadeiro-general (Av.) Alberto Zanelli, representando o Ministério da Defesa Nacional do Uruguai.

Após este acordo, as autoridades se orientam a continuar os trâmites necessários para a transferência dos dois aviões Airbus Military C-212 (ex-EADS CASA), que pertenciam à Força Aérea Portuguesa. As aeronaves foram visitadas pela delegação da FAU, que viajou para o Base Aérea No. 6 localizada em Montijo, perto de Lisboa, onde serão preparados para o voo  para o Uruguai.

A negociação também incluiu um pacote completo de peças de reposição e o devido trabalho de manutenção para assegurar, em condições adequadas de aeronavegabilidade a realização deste voo de transferência, prevista para o início do próximo ano.

Essas aeronaves integrarão a frota actual de C-212/200 - dois deles ex Guarda Costeira Sueca- pertencentes ao Esquadrão Aéreo No. 3 que são usados em tarefas de transporte , missões de busca e salvamento, coordenação e comandante aérea em teatros operacionais, entre outros cometidos.

Além do mais, deve ser notado que os C-212 também são usados para complementar o "Sistema de Transporte Aeromédico de Emergência” e também para complementar os meios de asa rotativa em missões SAR nocturnas mediante uso de foguetes de iluminação, em procedimento treinado junto à Força Aérea Espanhola. Neste sentido, é importante acrescentar que as aeronaves contam com tanques de combustível auxiliares externos, com os quais a autonomia é aumentada consideravelmente. Portanto, a rota do voo , estimado para Janeiro ou Fevereiro de 2015 ainda não se sabe se ele vai acontecer pelo hemisfério norte - ou, se a autonomia das aeronaves em plena capacidade, permite a rota do Atlântico Sul via Cabo verde / Noronha, ou Cabo verde / Recife-Ascensão, como fez na década de 90 para a aviação naval se mudou dois Jetstream T-2, que foi o primeiro voo de uma balsa gémeo uruguaio ao sul.

O Esquadrão Aéreo No. 3 da FAU conta com aeronaves C-130B, EMB-120, EMB-110 e C-212. (Defensa)