16 de julho de 2019

Militares do navio patrulha “Zaire” agraciados pelo Ministro da Defesa de São Tomé e Príncipe

(Emgfa)O Comandante do navio patrulha “Zaire”, Primeiro-Tenente Bruno Borges Mendes, e a respectiva guarnição, foram agraciados com público louvor do Ministro da Defesa e Ordem Interna (MDOI), pela competência demonstrada durante a operação de busca e salvamento às vítimas do navio “Anfitriti”, bem como pelo profissionalismo e coragem na intervenção no violento incêndio que deflagrou a bordo do navio “Ville Abdjan”.

A cerimónia realizou-se ontem, dia 15 de Julho, nas instalações do MDOI, contando, entre outras entidades, com a presença do Embaixador de Portugal, do Comandante do Exército santomense (em representação do Chefe do Estado-Maior das Forças Armadas) e do Director de Política de Defesa Nacional.

O evento foi realizado no âmbito das comemorações alusivas ao 12 de Julho, dia da "Independência Nacional", e homenageou igualmente quadros das Forças Armadas de São Tomé e Príncipe.

O navio patrulha “Zaire”, da Marinha Portuguesa, encontra-se actualmente em missão de Capacitação da Guarda Costeira de São Tomé e Príncipe, prestando ainda apoio às autoridades locais, na fiscalização das águas de jurisdição de São Tomé e Príncipe.

15 de julho de 2019

Exército celebra o Dia da Arma de Cavalaria e o 310.º aniversário Regimento de Cavalaria N.º 6

(Exército)A cerimónia comemorativa do Dia da Arma de Cavalaria e do 310.º aniversário Regimento de Cavalaria N.º 6 (RC6) decorreu no dia 14 de Julho, na Praça do Município, em Braga.

Presidida pelo Chefe do Estado-Maior do Exército (CEME), General José Nunes da Fonseca, a cerimónia militar contou com a presença do Presidente da Câmara Municipal de Braga, Dr. Ricardo Rio, e do Vice-CEME e Comandante das Forças Terrestres, Tenente-General Guerra Pereira, entre outras entidades militares e civis.

O Director Honorário da Arma de Cavalaria, Major-General Luís Nunes da Fonseca, no seu discurso, recordou o facto de, este ano, o Dia da Arma ser comemorado juntamente com o 310.º aniversário do RC6, em memória do Combate de Armiñon, travado em 21 de Julho de 1837, durante a 1.ª Guerra Carlista, “no qual as Forças do “6", sob o comando do Coronel Simão da Costa Pessoa", integrando a Divisão Auxiliar enviada a Espanha, “se cobriram de glória pela sua audácia e heroísmo". Enalteceu, ainda, as sucessivas gerações de “Cavaleiros que precederam e que, desde os primórdios da nacionalidade se notabilizaram", bem como os homens e mulheres da Arma de Cavalaria que, no contexto actual nacional e internacional, se destacam “pelo exemplar brio, profissionalismo, zelo e competência", evidenciados no exercício das tarefas atribuídas.

O General CEME evidenciou, do mesmo modo, o “desempenho, caldeado por espírito de sacrifício e determinação" dos militares da Arma de Cavalaria, que segundo os “mais elevados padrões de exigência", que "os caracterizam, têm cumprido os inúmeros empenhamentos operacionais", no país e além-fronteiras. “Hoje, tal como ontem, a Cavalaria distingue-se pela capacidade de impor a decisão no combate, numa perfeita compatibilização de flexibilidade, mobilidade, poder de fogo e efeito de choque", acrescentou o General CEME, destacando o poder de superação da Arma, "face às novas realidades e paradigmas", no seu emprego táctico, no cumprimento de variadas missões de apoio à protecção de pessoas e na salvaguarda dos respectivos bens.

Após o desfile das Forças em Parada, decorreu no RC6 a apresentação e distribuição da reedição da Revista de Cavalaria - N.º 1. As comemorações culminaram com a Prova de Obstáculos - Troféu Mouzinho de Albuquerque, em homenagem ao Patrono da Arma de Cavalaria, que contou com a participação de todas as Unidades da Arma .

Fuzileiros iniciam actividade operacional na Lituânia

(Emgfa)A Força de Fuzileiros, da Marinha Portuguesa, projectada para a Lituânia a 1 de Julho, já iniciou um intenso programa de activação de capacidades, adaptação à área de operações e entrosamento com as forças lituanas.

Têm realizado exercícios técnicos e tácticos de tiro, de combate a curtas distâncias, com emprego de viaturas todo-o-terreno, de natação de combate e de operação de veículos autónomos.

Durante as próximas semanas serão realizados exercícios complexos, centrados na costa do Mar Báltico, incluindo a realização de operações anfíbias, de combate em ambiente costeiro, de mergulho e de assalto a navios.

A Força de Fuzileiros dispõe de uma complexa matriz de capacidades, estruturadas num elemento de Projecção de Força e num elemento de Operações Especiais.

O elemento de Projecção de Força está vocacionado para a realização de operações anfíbias e para outras acções em ambiente marítimo e costeiro, podendo desenvolver, inclusive, operações prolongadas em terra. Este elemento inclui uma equipa de mergulhadores sapadores, que suplementam a capacidade de reconhecimento de zonas costeiras e de realização de acções complexas de inactivação de engenhos explosivos.

O elemento de Operações Especiais, correspondente a uma unidade-tarefa gerada pelo Destacamento de Acções Especiais, de pequena dimensão, mas de grande capacidade, está capacitado para realizar acções no Mar Báltico e em terra, cobrindo um amplo espectro de tarefas, desde missões de combate e resgate até acções de reconhecimento e recolha de informação.

Antes de ser projectada para este teatro de operações, a Força cumpriu um plano de aprontamento focalizado, especificamente, na actuação no território da Lituânia e no Mar Báltico, face a ameaças convencionais, não-convencionais ou híbridas.

13 de julho de 2019

D. Francisco de Almeida regressa a Lisboa antes de iniciar missão na NATO

(MGP)Na primeira fase o navio português rumou a Inglaterra, onde participou no Operational Sea Training (OST), um exigente treino muito importante no processo de aprontamento das unidades navais portuguesas, com vista a preparar os navios para operarem em cenários de elevada complexidade, na máxima extensão das suas capacidades, nomeadamente todo o espectro e ambientes das operações navais, maximizando a sua capacidade para combate, em especial de defesa contra ataques terroristas que ocorram a partir do mar.

Após o OST, o navio seguiu para a Holanda, para a Base Naval de Den Helder, onde concluiu o seu ciclo de aprontamento. A fragata da Marinha está assim pronta a integrar a Força Naval Permanente da NATO, já no próximo mês de Agosto.​

O NRP D. Francisco de Almeida é comandado pelo capitão-de-fragata Ricardo da Silva Inácio e possui uma guarnição de 192 militares, incluindo duas equipas do pelotão de abordagem do Corpo de Fuzileiros, uma equipa de mergulhadores, uma equipa médica e um destacamento de helicópteros embarcado.​

11 de julho de 2019

Fragata “Corte-Real” regressa de exercício de cooperação com o Reino de Marrocos

(Emgfa)A fragata “Corte-Real”, da Marinha Portuguesa regressa este sábado, dia 13 de Julho, após participação no exercício “Multi Cooperative 2019”, no âmbito da activação da Força Marítima Europeia (EUROMARFOR), que decorreu ao largo de Marrocos.

A Secretária de Estado da Defesa Nacional, Professora Doutora Ana Santos Pinto, irá receber a fragata portuguesa, embarcando no navio entre o cais do Centro de Controlo de Tráfego Marítimo (VTS) do Porto de Lisboa e a Base Naval de Lisboa, acompanhada pelo Vice-chefe do Estado-Maior da Armada, Vice-almirante Novo Palma, e pelo Comandante Naval, Vice-almirante Gouveia e Melo.

Este exercício, que decorreu nos dias 4 e 5 de Julho, visou a cooperação multilateral da EUROMARFOR com o Reino de Marrocos e envolveu ainda as fragatas “Victoria”, da Marinha Espanhola, e “Tarik Ben Ziyad”, da Marinha Marroquina.

A Força naval realizou um vasto conjunto de exercícios, com o objectivo de consolidar a cooperação e interoperabilidade entre a Marinha Real Marroquina e as Marinhas dos países constituintes da EUROMARFOR, no domínio da Segurança Marítima.

Entre os dias 1 e 3 de Julho, a Força esteve atracada em Casablanca, período durante o qual, juntamente com os dois navios que participaram no exercício, desenvolveu diversas acções de treino, no âmbito das operações de interdição marítima (embargo), operações de busca e salvamento, mergulho, técnicas de protecção de navios contra ameaças assimétricas e ataques terroristas, assistência médica e técnicas de controlo de avarias.

Portugal assumiu a 19 de Setembro de 2017, por um período de dois anos, o comando rotativo da EUROMARFOR, actualmente comandada pelo Vice-almirante Gouveia e Melo, Comandante Naval da Marinha Portuguesa. Esta Força Marítima Europeia é activada especificamente para o cumprimento de missões ou operações navais, aéreas e anfíbias, podendo, num curto espaço de tempo, constituir-se como uma força pronta para actuar e ser empregue em missões humanitárias e de salvamento, manutenção e restabelecimento da paz e de combate em gestão de crises.

10 de julho de 2019

Ministro da Defesa Nacional visita militares portugueses na República Centro-Africana

(Exército)O Ministro da Defesa Nacional, Professor Doutor João Gomes Cravinho, acompanhado pelo o Chefe do Estado-Maior do Exército, General Nunes da Fonseca, pelo Chefe de Estado-Maior do Comando Conjunto para as Operações Militares, Tenente-General Joaquim Almeida, e pelo Adjunto Diplomático do Ministério de Defesa Nacional, Dr. Nuno Cabral, deslocou-se, nos dias 07 e 08 de Julho, ao Teatro de Operações (TO) da República Centro-Africana (RCA).

Ao chegar ao aquartelamento de M'POKO, em Bangui, o Ministro da Defesa Nacional foi recebido pela Ministra da Defesa da RCA, Marie-Noëlle Koyara, pelo 2.º Comandante da Componente Militar da Missão Multidimensional Integrada das Nações Unidas para a Estabilização da República Centro-Africana (MINUSCA), Tenente-General Marco Serronha, pelo Comandante da Missão de Treino da União Europeia (EUTM) na RCA, Major-General Hermínio Maio, e pelo Comandante da 5.ª Força Nacional Destacada (5FND), Tenente-Coronel Rui Moura.

No decorrer da visita o Professor Doutor João Gomes Cravinho, recebeu um brífingue proferido pelo Comandante da 5FND/MINUSCA e impôs a Medalha de Cruz de São Jorge, 1.º classe, ao Force Chief ofStaff da Componente Militar da MINUSCA, Brigadeiro-General Remi Seigle.

No Campo de M'POKO, num ambiente de proximidade e confraternização, o Ministro da Defesa Nacional contactou com os militares portugueses que, desde Março, constituem a força de estabilização de paz para consolidação do território e assistiu a uma exposição estática de meios e capacidades.

No Campo EUCATEX, o Ministro da Defesa Nacional contactou com os militares portugueses integrados na missão da EUTM RCA e participou na cerimónia de Transferência de Comando de Portugal para França.

AM1 ABRE PORTAS AO PÚBLICO ESTE DOMINGO

(FAP)O Aeródromo de Manobra N.º 1, em Maceda – Ovar, vai abrir as portas ao público no dia 14 de julho, das 10h00 às 17h00.

Exposição de aeronaves, demonstrações cinotécnicas, visitas ao Polo do Museu do Ar e baptismos de voo são apenas algumas das actividades programadas, em mais um 'Dia de Base Aberta' integrado nas Comemorações do 67.º Aniversário da Força Aérea.

Contamos consigo

7 de julho de 2019

NRP Setúbal terminou Plano de Treino Operacional


(Marinha)No dia 3 de Julho realizou um exercício de assistência a navio sinistrado, simulado pelo NRP Figueira da Foz. Neste exercício a guarnição é empenhada no socorro a um navio que sofreu um incêndio a bordo, perdeu propulsão e energia e tem vários feridos.

E ontem, dia 5 de Julho, o navio patrulha oceânico foi testado num exercício de assistência a catástrofe e apoio humanitário, conduzido conjuntamente com o NRP Figueira da Foz. Este exercício visa treinar as guarnições nas acções de apoio humanitário aos habitantes de uma povoação atingida por uma catástrofe. Para o efeito foi criado um cenário no parque de treino da Escola de Tecnologias Navais da Armada (ETNA), simulando uma povoação isolada face aos danos causados por um sismo de grande intensidade (7,8 na escala de Ritcher).

Ambos os exercícios foram conduzidos com sucesso, permitindo à guarnição testar a sua organização e competências técnicas nas mais diversas áreas, integrando cenários complexos, permitindo o aprontamento do navio e respectiva guarnição para missões fundamentais de salvaguarda da vida humana.

Termina assim a importante fase do Plano de Treino Operacional previsto para o mais recente navio da Marinha Portuguesa, comprovando a aptidão para desempenhar todas as missões e tarefas que lhe forem incumbidas, ao serviço de Portugal.

O NRP Setúbal é comandado pelo capitão-tenente Rui Manuel Zambujo Madeira e possui uma guarnição de 45 elementos.

2 de julho de 2019

Forças Armadas colaboram com ICNF na vigilância preventiva de fogos nas florestas

(Exército)No âmbito do Protocolo FAUNUS, as Forças Armadas estão a colaborar, entre o dia 1 de Julho e 30 de Setembro, com o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) na vigilância das áreas mais sensíveis na floresta e sensibilização da população para a necessidade de adoptar comportamentos adequados à prevenção dos fogos.

Nestas patrulhas vão estar empenhados 132 militares, divididos em 44 patrulhas (12 da Marinha e 32 do Exército) de 3 militares cada. Diariamente estes militares vão patrulhar 15 distritos de Portugal Continental, nos quais o ICNF tem responsabilidade.

É de destacar que, para esta missão, o ICNF disponibilizou 44 viaturas, uma para cada patrulha.

O protocolo FAUNUS foi celebrado, entre as Forças Armadas Portuguesas e o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), em 2017.

1 de julho de 2019

Exército celebra o 59.º Aniversário do Centro de Tropas de Operações Especiais

(Exército)O Exército celebrou, no dia 30 de Junho, em Lamego, o 59.º Aniversário das Operações Especiais e do Centro de Tropas de Operações Especiais (CTOE), em cerimónia presidida pelo Chefe do Estado-Maior do Exército, General José Nunes da Fonseca, que contou com a presença de várias entidades militares e civis, assim como daqueles que servem ou serviram nesta tropa especial e de familiares e amigos dos militares.

Criado a 16 de Abril de 1960, o Centro tinha como objectivo formar unidades especializadas em contraguerrilha, operações psicológicas e montanhismo, recebendo companhias especialmente seleccionados de vários regimentos para serem transformadas em Companhias de Caçadores Especiais, principal força de intervenção do Exército Português no início da Guerra do Ultramar.

Os “Rangers de Lamego”, como também é conhecida esta tropa especial do Exército Português, é uma força especialmente seleccionada, organizada, treinada e equipada, que utiliza técnicas e modos de emprego não convencionais para o cumprimento de Operações Especiais.

Destaca-se, do programa comemorativo, a Homenagem aos Mortos em Campanha, a atribuição de Membro Honorário de Operações Especiais ao Vice-Chefe do Estado-Maior do Exército, Tenente-General Rui Davide Guerra Pereira, a imposição de Boinas e Insígnias aos militares que concluíram o curso de Operações Especiais e a apresentação de uma Unidade Terrestre de Operações Especiais (Special Operations Land Task Unit - SOLTU) da Força de Operações Especiais (FOE).

O Comandante do CTOE, Coronel Raul Matias, realçou a importância da intensa actividade formativa da Unidade, com destaque para os cursos de Operações Especiais a Oficiais, Sargentos e Praças e curso de Sniper, bem como o seu empenhamento operacional actual, com elementos de Operações Especiais em 4 Teatros de Operações: Afeganistão, Iraque, República Centro Africana e Mali, além da assessoria com a Direcção das Forças Especiais de Angola, no âmbito da Cooperação no Domínio da Defesa.

Nas palavras que dirigiu aos presentes, o General CEME afirmou: “estamos certos de que, colectiva e individualmente, continuareis a honrar a ilustre divisa da Unidade "QUE OS MUITOS POR SER POUCOS NÂO TEMAMOS", cientes de que sabereis sempre agir com qualidade, determinação, rigor e vontade de bem servir. Deste modo, sereis contribuintes decisivos para o prestígio do Exército e para o reforço da aceitação e da imagem pública das Forças Armadas de Portugal”.

30 de junho de 2019

MILHARES DE PESSOAS NO FESTIVAL AÉREO DOS 67 ANOS DA FORÇA AÉREA

(FAP)Milhares de pessoas visitaram a Base Aérea N.º 5, em Monte Real, para assistir ao Festival Aéreo que aconteceu no dia 29 de Junho, integrado nas Comemorações do 67.º Aniversário da Força Aérea.

As portas abriram às 10h00, com os visitantes a terem, desde cedo, oportunidade de passear por uma exposição estática de encher a ‘placa’, com as aeronaves da Força Aérea, antigas e em actividade.

Durante a tarde, as Esquadras de voo fizeram as maravilhas do público, com passagens baixas, voos em formação, manobras raramente vistas e demonstrações de várias tipologias de missão: resgate, lançamento de carga e de kits de salvamento (simulação), aterragens tácticas, ataque ao solo, entre outras.

Pela primeira vez, Alouette III, AW119 Koala e EH-101 Merlin voaram lado a lado e mostraram algumas das suas capacidades operacionais.

A abrilhantar o festival aéreo, estiveram também as patrulhas acrobáticas ‘La Marche Verte’ (Royal Moroccan Air Force), ‘ASPA’ ( Ejército Del Aire, Espanha) e ‘Yakstars’ (de Portugal).

29 de junho de 2019

Exército celebra o 57.º Aniversário dos Comandos e o Dia do Regimento de Comandos

(Exército)O Exército celebrou hoje, na Carregueira, o 57.º Aniversário dos Comandos e o Dia do Regimento de Comandos, em cerimónia presidida pelo Chefe do Estado-Maior do Exército, General José Nunes da Fonseca, que contou com a presença das mais distintas entidades militares e civis, assim como daqueles que servem ou serviram nesta tropa especial e de muitos familiares e amigos dos militares que juraram bandeira.

Desde a sua criação, em 1962, os Comandos sempre orientaram a sua actividade para o cumprimento de missões operacionais de grande exigência, tendo constituído um importante contributo para o esforço de guerra nas campanhas de África, em Angola, Moçambique e Guiné. Nos tempos mais recentes, esta força de elite tem merecido a confiança para actuar nos mais exigentes Teatros de Operações, como é exemplo a sua actual presença na República Centro-Africana.

Destaca-se, do programa comemorativo, a homenagem aos “Mortos Comandos”, a imposição dos dísticos “Comando" a 29 militares que concluíram o 132.º Curso de Comandos e o Juramento de Bandeira do 5.º Curso de Formação Geral Comum de Praças do Exército.

Na sua intervenção, o General CEME referiu que o Exército não esquece os familiares e amigos próximos dos militares “Comando”, dirigindo a todos “uma palavra de apreço e um agradecimento muito sincero”, porquanto, “suportando a ausência dos entes queridos, compreendendo a natureza das suas responsabilidades, representam a retaguarda estabilizadora, que os tranquiliza e estimula a enfrentar os desafios, as dificuldades e os riscos para, com segurança, cumprirem a missão que lhes está destinada”.

Relativamente ao Soldado Aliu Camará, salientou que o Exército “compromete-se a prosseguir o acompanhamento muito próximo que lhe tem sido proporcionado, assim como a tudo fazer para que a este valoroso militar lhe sejam asseguradas as melhores perspectivas e condições de vida futura, pautadas por esperança, coragem e determinação para interiorizar a realidade, encarar de frente os desafios, e vencer todos os dias a adversidade”.

A todos quantos servem no Regimento de Comandos, transmitiu a inteira confiança na sua capacidade e determinação, colectiva e individual, para prosseguirem com orgulho, empenho e vontade de alcançar plenos sucessos, honrando a ilustre divisa "AUDACES FORTUNA JUVAT", dignificando o Exército e contribuindo para o reforço da aceitação e da imagem pública das Forças Armadas de Portugal.

28 de junho de 2019

Juramento de Bandeira 5.º Curso de Formação Geral Comum de Praças do Exército

(Exército)O Exército realizou nos dias 26 e 27 de Junho, em Mirandela e Gavião, as cerimónias de Juramento de Bandeira do 5.º Curso de Formação Geral Comum de Praças, terminando assim a primeira parte da formação militar dos soldados recrutas que tiveram a Instrução Básica no Regimento de Infantaria N.º 19 (Chaves) e no Regimento de Apoio Militar de Emergência (Abrantes).

Portugal participa no maior exercício de defesa aérea mundial

(Exército)Portugal participou, entre 3 e 19 de Junho, na Polónia, no exercício multinacional de defesa aérea “Tobruq Legacy 2019” com 18 Aliados NATO.

O “Tobruq Legacy 2019” é o maior exercício de Defesa Aérea da NATO, tendo reunido mais de 3800 participantes de 19 Estados-Membro, incluindo uma equipa do Regimento de Artilharia Antiaérea N.º 1 do Exército Português.

Este exercício permitiu o treino e o teste de doutrinas de emprego de Sistemas Míssil terra-ar em ambiente conjunto e combinado e teve como finalidade a interoperabilidade, Comando e Controlo e a fiabilidade das Comunicações e Sistemas de Informação num ambiente multinacional, testando as capacidades de “Ground-Based Air Defence” de acordo com a doutrina da NATO.

Fuzileiros partem para missão na Lituânia

(Emgfa)Uma Força de Fuzileiros da Marinha Portuguesa parte na próxima segunda-feira, dia 1 de Julho, para a Lituânia, onde irá permanecer nos próximos três meses, no quadro das medidas de tranquilização da NATO naquele território.

A Força inclui uma equipa de Mergulhadores da Armada, num total de 146 militares (140 Fuzileiros e 6 Mergulhadores). Destes, 134 militares partem na segunda-feira, para se juntar a um destacamento avançado de 12 militares que já se encontra no teatro de operações.

Pela primeira vez que uma equipa de mergulhadores integrará esta missão, dando à Força a valência de inactivação de engenhos explosivos, guerra de minas e apoio a operações anfíbias.

Este é o segundo ano em que uma Força tão significativa, integralmente gerada e aprontada pela Marinha, irá operar num teatro Europeu e que será projectada para Klaipėda, na Lituânia, por mar e ar.

Durante os próximos três meses, os militares portugueses vão treinar com a Marinha da Lituânia e com o “Dragoon Battalion” do Exército Lituano, em operações anfíbias e operações terrestres.

No âmbito dos compromissos internacionais, Portugal participa nesta missão com o objectivo de contribuir para o esforço colectivo da NATO, no quadro de um conjunto de actividades militares, realizadas nos territórios da Europa central e de Leste, no sentido de reforçar a capacidade de dissuasão e resposta da Aliança face a potenciais ameaças.

27 de junho de 2019

FESTIVAL AÉREO EM MONTE REAL

(FAP)Realiza-se no próximo sábado, dia 29 de Junho, o Festival Aéreo na Base Aérea N.º 5 (BA5), em Monte Real, integrado nas comemorações do 67.º Aniversário da Força Aérea.

Informamos que não será possível estacionar o seu veículo na BA5 e que o estacionamento estará condicionado nas suas imediações.

Em coordenação e com o apoio das Câmaras Municipais de Leiria e da Marinha Grande foram criados vários parques de estacionamento e assegurado o transporte gratuito, em autocarro, entre os parques e a Base.

Comandos regressam a Bangui após complexa operação

(Emgfa)Após um mês de uma complexa operação em Bocaranga, a cerca de 500 km de Bangui, os militares do Exército e da Força Aérea da 5ª Força Nacional Destacada na República Centro-Africana, maioritariamente composta por Comandos, estão de regresso à base na capital.

A Força de Reacção Rápida portuguesa foi chamada a intervir para proteger as localidades de Letele, Boukaya e Bohong da opressão de elementos afectos a grupos armados, na sequência do massacre de mais de 50 pessoas, no passado mês de maio.

Mais uma vez, a presença dos militares portugueses na região, em nome da manutenção da paz, trouxe segurança às populações locais e potenciou a negociação entre uma delegação da União Africana, o Governo da República Centro-Africana, representantes da Missão das Nações Unidas e a liderança do grupo armado, na procura de uma solução ao abrigo do acordo de paz de Cartum, firmado no início deste ano.

Relembra-se que o actual contingente desta Força de Reacção Rápida, de 180 militares em missão no país, é constituído maioritariamente por tropas especiais, Comandos, do Exército português, integrando militares de outras unidades do Exército e ainda três controladores aéreos avançados da Força Aérea.

26 de junho de 2019

Militar do Exército Português condecorado pelo Exército Norte-Americano

​(Exército)A 6 de Junho de 2019, teve lugar no Quartel-General da Resolute Support Mission em Cabul, Afeganistão, a cerimónia de condecoração do Sargento-Ajudante Paulo Cruz com a Army Commendation Medal do Exército Norte-Americano.

O Sargento-Ajudante Paulo Cruz, destacado no Afeganistão no âmbito da Resolute Support Mission, encontra-se a desempenhar funções de Analista Geospacial no Teatro de Operações, cujas ações em muito contribuíram para a valorização e credibilização da missão da NATO, do Exército Português, das Forças Armadas Portuguesas e de Portugal.

Este reconhecimento público teve em conta o extraordinário desempenho e ação do Sargento-Ajudante Paulo Cruz em todas as missões que lhe foram cometidas ao serviço da Célula Geospacial (GeoCell). Entre várias acções dignas de registo salienta-se a liderança na produção, pela primeira vez realizada na GeoCell, de um mapa gigante para o Gabinete Nacional de Inteligência do Palácio Presidencial Afegão. Foi também responsável pela produção de vários e complexos pedidos de analise solicitados pela Nato Fusion Team, que se traduziram num vasto trabalho de sinalização de todas as pontes existentes no Afeganistão em termos de traficabilidade e o seu reconhecimento geospacial.

The Army Commendation Medal é uma condecoração militar do Exército dos Estados Unidos da América que é atribuída por atos de heroísmo ou serviço meritório no cumprimento da missão.

24 de junho de 2019

Escola das Armas celebra o seu dia festivo

(Exército)A Escola das Armas (EA) assinalou, no passado dia 19 de Junho, o seu dia festivo, através de uma cerimónia militar, que contou com a presença do, General José Nunes da Fonseca, do Presidente da Câmara Municipal de Mafra, Engenheiro Hélder Sousa e Silva, do antigo Chefe do Estado-Maior-General das Forças Armadas, General Pina Monteiro e do Chefe da Casa Militar do Presidente da República, Tenente-General João Vaz Antunes, bem como de outras entidades militares e civis.

Na cerimónia militar, que decorreu no Terreiro D. João V, o Comandante da EA, na sua alocução destacou que as “comemorações do Dia da Unidade são um dia de reencontro com o passado, com a história e com as tradições”, salientando ainda a importância de pensar a EA “nas dimensões individualizadas das Armas, nas suas tradições e valores mas, acima de tudo, na sua dimensão colectiva, como elemento potenciador do seu desenvolvimento”.

O Chefe do Estado-Maior do Exército, a terminar a sua intervenção dirigiu-se especificamente aos Oficiais, Sargentos, Praças e Funcionários Civis da EA, exortando-os a prosseguir “o excelente trabalho que vêm desenvolvendo, na procura permanente da formação certificada dos quadros das armas, da excelência do desempenho e da ligação à sociedade envolvente”.

Navios da Federação Russa seguem exercício da Marinha Portuguesa

(MGP)A corveta Vasily Bykov e o navio auxiliar Spasatel Demidov encontram-se em águas nacionais em trânsito para norte, tendo-se aproximado, na manhã de ontem, da área onde se desenvolve o exercício CONTEX-PHIBEX.

A Marinha continuará, na prossecução da sua missão de vigilância dos espaços marítimos sob soberania ou jurisdição nacional, a acompanhar a passagem destes navios.

22 de junho de 2019

Fuzileiros portugueses treinam com a Infantería de Marina

(MGP)No âmbito do CONTEX/PHIBEX, o exercício naval multinacional organizado pela Marinha Portuguesa, os fuzileiros portugueses encontram-se a realizar vários treinos em conjunto com a Armada Española, integrados no Batalhão Combinado com a Infantería de Marina e um pelotão italiano.

​​Este treino tem como objectivo testar a elevada prontidão dos Fuzileiros na execução de operações anfíbias, através da sua projecção do mar para a terra. As operações serão realizadas a partir do navio anfíbio espanhol L-51 Galícia, para a Península de Troia, com recursos a várias capacidades navais, como mergulhadores, submarinos, aeronaves, navios e equipas de operações especiais.
​​

Portugal lidera ciberdefesa no maior exercício da NATO

(Emgfa)Uma equipa de militares do Estado-Maior-General das Forças Armadas (EMGFA), dos três ramos das Forças Armadas e um elemento do Ministério da Defesa Nacional está a participar, entre 10 e 27 de Junho, no maior exercício de interoperabilidade da NATO que junta, no “Joint Force Training Centre (JFTC)”, em Bydgoszcz, na Polónia, mais de 1500 participantes de 38 nações.

Uma das áreas de teste no exercício “Coalition Warrior Interoperability eXercise (CWIX)” é a ciberdefesa, a qual está a ser liderada por Portugal, estando o país igualmente a participar nas áreas de “federated mission networking” e “friendly force tracking”.

Neste exercício é testada e melhorada a interoperabilidade entre todas as nações e parceiros da NATO, experimentando e testando os sistemas e plataformas de cada um, permitindo que, numa missão da NATO, todas as nações possam agir como uma.

Este exercício é dirigido pelo comando militar NATO de Norfolk (“Allied Command Transformation”), nos EUA, e tem uma periodicidade anual.

19 de junho de 2019

Marinha Portuguesa organiza o maior exercício multinacional dos últimos dois anos

(MGP)Começa hoje, dia 19 de Junho, a fase de mar do exercício naval CONTEX-PHIBEX 19, o maior exercício multinacional organizado pela Marinha Portuguesa, nos últimos dois anos em Portugal. ​

Após dois dias de treinos na Base Naval de Lisboa, navios, fuzileiros e mergulhadores estão prontos para iniciar a fase de mar deste exercício que conta com a participação da Força Aérea Portuguesa e das Marinhas de Espanha, França, Itália e Estados Unidos. O exercício termina no dia 28 de Junho e conta com a participação de cerca de 1700 militares.​​​

O CONTEX-PHIBEX 19 é um exercício naval e anfíbio que tem como objectivo melhorar a proficiência da esquadra da Marinha Portuguesa e dos fuzileiros que, juntamente com as outras forças e unidades aliadas, interagem perante um cenário multidimensional, no âmbito das operações de resposta a crise.

​Durante a participação no exercício, a fragata Corte-Real vai comandar a Força Naval Europeia (EUROMARFOR), composta por navios das Marinhas de França, Itália, Portugal e Espanha. A Marinha Portuguesa irá também empenhar a fragata Álvares Cabral, os navios patrulha oceânicos Setúbal e Figueira da Foz, o submarino Tridente, o navio reabastecedor Bérrio, o navio hidrográfico Almirante Gago Coutinho, o navio patrulha costeiro Tejo, as lanchas Dragão e Escorpião, uma força de fuzileiros e os mergulhadores.

Este exercício, que contempla o disparo de mísseis, operação de veículos autónomos e desembarques anfíbios, contribuirá de forma significativa para a manutenção dos elevados padrões de prontidão e interoperabilidade das unidades participantes, bem como a coesão de todas as forças e comandos envolvidos, nomeadamente da Força Naval Portuguesa e da Força Marítima Europeia. ​

18 de junho de 2019

Patrulha “Zaire” empenhado em operação de busca e salvamento em S. Tomé e Príncipe

(Emgfa)O navio patrulha “Zaire”, em missão de capacitação da Guarda-Costeira de S. Tomé e Príncipe, foi empenhado ontem, ao final da tarde, numa operação de busca e salvamento da embarcação de pesca “Tropical”, com 13 pessoas a bordo, que devia ter regressado a terra no passado sábado.

Em auxílio da embarcação de pesca “Tropical” já teria seguido outra embarcação de pesca, a “Santa Marta”, com 5 pessoas a bordo, sem esta ter igualmente regressado.

Com informação da possível localização das duas embarcações, a cerca de 140 milhas náuticas (260 km) da ilha de S. Tomé, cerca das 05h45, horas locais, o patrulha português estabeleceu comunicações com a embarcação “Santa Marta”, tendo esta informado que se encontrava a rebocar a embarcação “Tropical”.

Neste momento, o “Zaire” está a acompanhar de perto o reboque da embarcação “Tropical”, tendo deslocado para bordo desta uma equipa de apoio técnico para avaliação da situação.

O navio português vai acompanhar ambas as embarcações de pesca até S. Tomé, onde se estima que cheguem hoje ao fim do dia, garantindo que o percurso é feito em segurança.

Município de Abrantes condecora o Regimento de Apoio Militar de Emergência

​(Exército)Inserida nas comemorações do dia da cidade de Abrantes, teve lugar no dia 14 de Junho, no castelo de Abrantes, a cerimónia de condecoração do Regimento de Apoio Militar de Emergência (RAME), com a Medalha de Mérito Municipal da Cidade de Abrantes.


Fragata “Corte-Real” vai comandar Força Naval no maior exercício organizado por Portugal


(Emgfa)A fragata “Corte-Real”, da Marinha Portuguesa, vai comandar a Força Naval Europeia (EUROMARFOR), composta por navios das Marinhas de França, Itália, Portugal e Espanha, na participação no maior exercício naval organizado pela Marinha Portuguesa em 2019, o CONTEX-PHIBEX.

A cerimónia de activação da EUROMARFOR, presidida pela Secretária de Estado da Defesa Nacional, Professora Doutora Ana Santos Pinto, realizou-se hoje, no Porto de Lisboa, onde, há 24 anos, França, Itália, Portugal e Espanha assumiram o compromisso de cooperação em prol da segurança marítima.

No CONTEX-PHIBEX, a decorrer até 28 de Junho, a força naval europeia irá participar num calendário de eventos desafiante e dinâmico, para melhorar a sua prontidão, competências e capacidades, bem como para manter os níveis de interoperabilidade entre as Marinhas, enfrentando todas as possíveis ameaças à segurança marítima comum.

Esta 42ª activação será liderada pelo Comandante Salvado de Figueiredo, com o seu Estado-Maior internacional embarcado na fragata portuguesa “Corte-Real”.

Depois da participação no CONTEX-PHIBEX, a força partirá para Marrocos, onde irá cooperar e treinar com a Marinha Real Marroquina, no âmbito da segurança marítima comum.

Portugal assumiu a partir de 19 de Setembro de 2017, por um período de dois anos, o comando rotativo da EUROMARFOR, actualmente comandada pelo Vice-almirante Gouveia e Melo, Comandante Naval da Marinha Portuguesa. Esta força naval multinacional é activada especificamente para o cumprimento de missões ou operações navais, aéreas e anfíbias, podendo, num curto espaço de tempo, constituir-se como uma força pronta para actuar e ser empregue em missões humanitárias e de salvamento, manutenção da paz, de combate em gestão de crises e restabelecimento da paz.

13 de junho de 2019

Militar ferido com gravidade em acidente de viação na República Centro-Africana

(Emgfa)Durante a tarde de hoje, um soldado do Exército português pertencente à força de reacção rápida portuguesa em missão na República Centro-Africana, ao serviço das Nações Unidas, sofreu um traumatismo grave nas duas pernas, na sequência de um acidente de viação.

A família do militar já foi informada.

O acidente aconteceu enquanto realizavam um trajecto logístico junto à região de Bouar, situada a 350 km a noroeste da capital do país, durante o qual ocorreu o despiste e capotamento de uma das viaturas tácticas ligeiras blindadas HMMWV, vulgarmente conhecidas por “Humvee”.

Desconhecem-se ainda as causas do acidente, mas a forte precipitação que assola a região, bem como o estado altamente precário da rede viária, poderão ter sido causas contributivas para o despiste.

A equipa de médicos portugueses desta Força Nacional Destacada está a acompanhar a evolução clínica do militar em estreita ligação com os médicos do Hospital das Forças Armadas em Portugal.

7 de junho de 2019

Concurso aberto para a Escola Naval

Está aberto o concurso de admissão de cadetes à Escola Naval para o ano lectivo 2019/2020! Poderás concorrer até ao dia 24 de Julho de 2019!

Sabe mais em https://escolanaval.marinha.pt/pt/admissao/concurso2019​

6 de junho de 2019

Navio da Marinha abre a visitas este sábado em Angra do Heroísmo

(MGP)O Navio da República Portuguesa (NRP) Viana do Castelo vai estar aberto a visitas no próximo sábado, dia 8 de Junho, das 10h00 às 12h00 e das 14h00 às 17h00, em Angra do Heroísmo, na ilha Terceira.

​O NRP Viana do Castelo é um navio patrulha oceânico e foi construído em Portugal, nos Estaleiros Navais de Viana do Castelo. É o primeiro navio, dos actuais quatro, da classe “Viana do Castelo” e foi entregue à Marinha no dia 30 de Dezembro de 2010.