18 de maio de 2019

Programa de bases abertas


15 de maio de 2019

Dia da Marinha - Coimbra 2019


BASE AÉREA N.º11 ABRE PORTAS À POPULAÇÃO A 25 DE MAIO

(FAP)A Base Aérea N.º 11 (BA11), em Beja, é a primeira Unidade a abrir portas à comunidade civil no próximo dia 25 de Maio, entre as 10H00 e as 17H00, no âmbito do 67.º Aniversário da Força Aérea.

O Comandante da BA11, Coronel Fernando Costa, convida-o a visitar a Unidade e assistir a demonstrações com viaturas de socorro PROTECT FIRE, exibições cinófilas, exposições estáticas e passagens aéreas.

Terá ainda a oportunidade de conhecer o novo sistemas de armas da Força Aérea, o helicóptero AW119MKII “Koala”.

14 de maio de 2019

Oficiais de Artilharia da Marinha de Guerra Portuguesa visitam o Exército

(Exército)O Quartel da Artilharia da Brigada Mecanizada, no Campo Militar de Santa Margarida, recebeu no dia 29 de Abril, a visita dos alunos do Curso de Especialização de Oficiais em Artilharia da Marinha.

Ao longo da visita, os Oficiais em formação tiveram oportunidade de conhecer os sistemas e equipamentos da Artilharia de Campanha e Antiaérea, em utilização nesta Brigada, proporcionando-lhes uma visão geral sobre as capacidades e limitações da artilharia nas Forças Pesadas do Exército.

Exército apoia Peregrinos de Fátima

(Exército)No âmbito da peregrinação ao Santuário de Fátima, por ocasião das celebrações do “13 de Maio", o Exército, em colaboração com a Ordem de Malta e com o Santuário de Fátima, apoiou os Peregrinos originários de diversas regiões na sua caminhada até Fátima.

A colaboração com a Ordem de Malta foi materializada nas regiões de Santa Luzia, Águeda, Condeixa e Barracão, tendo o apoio ao Santuário sido prestado nas imediações de Fátima.

O Exército empenhou diversos militares neste apoio, disponibilizando igualmente materiais, como sejam camas, tendas, colchões, cobertores, bem como outros apoios na área do fornecimento de água, do apoio médico-sanitário, este incluindo a capacidade de emergência e reanimação.

Este apoio aos Peregrinos foi um contributo do Exército para que quem se dirigiu a Fátima em peregrinação, o fizesse nas melhores condições possíveis de saúde e bem-estar.

12 de maio de 2019

Fuzileiros de vigia na prevenção de incêndio

​​A Marinha empenhou duas patrulhas de fuzileiros para apoiar a Autoridade Nacional de Emergência e Protecção Civil (ANEPC) nas acções de vigilância e patrulha terrestre, tendo em consideração as actuais condições meteorológicas que são potenciadoras de eventuais incêndios rurais.

11 de maio de 2019

Militares no terreno para apoiar prevenção de incêndios

Um total de 9 patrulhas das Forças Armadas (sete do Exército e duas da Marinha), num total de 36 militares (28 do Exército e 8 da Marinha), vão reforçar de 11 a 14 de maio acções de vigilância terrestre e patrulhamento dissuasor em oito distritos de Portugal Continental, em apoio à Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC), face à previsão anunciada de subida acentuada das temperaturas durante os próximos dias.

Este reforço surge no seguimento do pedido de apoio da ANPC ao Estado-Maior-General das Forças Armadas, com o objectivo de incrementar as acções de prevenção um pouco por todo o país, com especial incidência nos distritos de Beja, Bragança, Évora, Guarda, Lisboa, Portalegre, Santarém e Setúbal.

Nesta fase, os militares das Forças Armadas irão ser empenhados em operações de vigilância terrestre e, em caso de necessidade, poderão ser empenhados em acções de pós rescaldo, ou de apoio geral às operações de protecção e socorro que possam vir a ser desencadeadas.

A base aérea n.º 11 em Beja, da Força Aérea, também prestará apoio logístico durante este período para acolher duas aeronaves anfíbias médias FIRE BOSS, pertencentes ao Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais.

O Estado-Maior-General das Forças Armadas, através dos seus oficiais de ligação aos Comandos Distritais de Operações de Socorro, mantêm o acompanhamento em permanência do evoluir da situação operacional.

8 de maio de 2019

Futuro das Marinhas europeias discutido em Lisboa

(MGP)Vinte seis anos depois a Marinha Portuguesa preside novamente ao fórum multilateral dos Chiefs of European Navies (CHENS), que irá reunir, em Lisboa, representantes de vinte sete países e ainda delegações da União Europeia e da NATO.

​O evento terá início na quinta-feira, 9 de Maio, com reuniões bilaterais e onde os comandantes das Marinhas serão recebidos em audiência de boas vindas pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

A sessão plenária, que contará com a presença do Ministro da Defesa Nacional, irá realizar-se no dia 10 de maio no Hotel Myriad, em Lisboa, e abordará o tema, Unmanned Systems Role in Future Naval Operations, permitindo partilhar com as marinhas participantes, os desenvolvimentos destes meios realizado em Portugal, na procura de soluções eficientes e economicamente mais vantajosas que a introdução destes sistemas autónomos poderá contribuir para apoio às operações navais.

Os Chefes das Marinhas Europeias promovem, desde 1990, reuniões anuais para abordarem assuntos estratégicos de natureza marítima com o objectivo de incrementar o conhecimento e a segurança marítima, nas áreas de interesse dos seus membros e aprofundar o entendimento, a cooperação e a melhor forma de abordar os desafios actuais e futuros.

Este fórum é constituído pelas marinhas pertencentes aos estados membros da União Europeia (UE) e da NATO. Participam ainda com o estatuto de observadores, a Marinha dos Estados Unidos da América, através do comandante das forças navais para a Europa e África (USNAVEUR-USNAVAF), representantes da NATO através do International Military Staff (IMS) e do Allied Maritime Command (MARCOM), e da União Europeia com a presença de representante do European Union Military Staff (EUMS).

Ministro da Defesa Nacional visita Regimento de Cavalaria N.º 6

(exército)O Ministro da Defesa Nacional, Professor Doutor João Gomes Cravinho, foi recebido hoje pelo Chefe do Estado-Maior do Exército, General José Nunes da Fonseca, no Regimento de Cavalaria N.º 6 (RC6), em Braga.

Após as honras regulamentares e a apresentação de cumprimentos, o Ministro da Defesa Nacional assistiu a um brífingue proferido pelo Comandante do RC6, Coronel José Talambas.

O programa contemplou, ainda, a visita às instalações do Regimento, uma demonstração de capacidades e meios do Grupo de Reconhecimento, assim como das actividades de aprontamento da 3.ª Força Nacional Destacada (3FND), que iniciou a projecção para o Afeganistão na segunda-feira passada, 06 de maio, e cujo aprontamento esteve a cargo do RC6.

O Ministro da Defesa Nacional, na sua alocução, manifestou que conhecer o RC6 “in loco", era uma vontade que há muito pretendia satisfazer, sublinhado três pontos particularmente interessantes, que presenciou ao longo da visita.

No primeiro ponto evidenciou as excelentes condições de habitabilidade dos Praças e, no segundo ponto, o forte relacionamento entre o RC6 e a comunidade civil, uma vez que “é extremamente importante que a população conheça as Forças Armadas, enquanto instituição estruturante da nossa sociedade e da nossa democracia".

Por fim, evidenciou as qualidades do Regimento, enquanto entidade aprontadora de Forças, nomeadamente da 3FND, desejando “uma missão feliz aos militares que brevemente sairão para o Afeganistão."

A visita culminou com a assinatura do Livro de Honra do RC6.

Seminário “Pensar a Segurança e a Defesa Europeia”

(Emgfa)Realiza-se, amanhã, dia 9 de Maio, no Instituto Universitário Militar, o seminário “Pensar a Segurança e a Defesa Europeia” uma iniciativa que conta com o Apoio da Rádio Renascença.

Entre as 9h e as 16h serão abordados os temas: “A Construção da Identidade Europeia”, “As migrações e os Desafios Securitários para a Europa” e “A Identidade de Segurança e Defesa da União Europeia”.

Ao longo dos últimos anos a União Europeia (UE) tem realizado diversos progressos no âmbito da segurança e da defesa, expressos na revisão dos Tratados da UE realizados em Lisboa (Tratado de Lisboa). Estes desenvolvimentos pretendem atribuir um papel cada vez mais activo e global à UE, dando maiores recursos e capacidades para que a Europa possa fazer face aos conflitos armados junto às suas fronteiras, quer a Sul, quer a Leste. Tendo em conta estes enormes desafios e estas profundas alterações, “Pensar a Segurança e a Defesa Europeia” constitui um exercício actual e extremamente importante para o debate nacional no qual todos estão convidados a participar.

O seminário realiza-se nas instalações do Instituto Universitário Militar

7 de maio de 2019

A Fragata D. Francisco de Almeida vai participar no Operational Sea Training

(MGP)A fragata D. Francisco de Almeida largou esta manhã da Base Naval de Lisboa rumo a Inglaterra, onde vai participar no Operational Sea Training (OST), no período de 9 de Maio a 13 de Junho de 2019.

​​O OST afirma-se, tradicionalmente, como um importante marco no processo de aprontamento das unidades navais portuguesas, com vista a preparar os navios para operarem em cenários de elevada complexidade, na máxima extensão das suas capacidades, nomeadamente todo o espectro e ambientes das operações navais, maximizando a sua capacidade para combate, em especial de defesa contra ataques terroristas que ocorram a partir do mar.

Após este treino com a Royal Navy, a fragata D. Francisco de Almeida irá concluir o seu ciclo de aprontamento, de forma a integrar Força Naval Permanente da NATO em Agosto próximo.

O Chefe do Estado-Maior da Armada, almirante António Mendes Calado, acompanhou o navio na largada, tendo tido oportunidade de se dirigir à sua guarnição, deixando uma mensagem de confiança e de incentivo para o exigente período que se avizinha.

A fragata portuguesa D. Francisco de Almeida é comandada pelo capitão-de-fragata Ricardo da Silva Inácio, possui uma guarnição de 192 militares, incluindo duas equipas do pelotão de abordagem do Corpo de Fuzileiros, uma equipa de mergulhadores, uma equipa médica e um destacamento de helicópteros embarcado.

6 de maio de 2019

Ministro da Defesa Nacional visita o Centro de Informação Geoespacial do Exército

(Exército)O Ministro da Defesa Nacional, Professor Doutor João Gomes Cravinho, foi recebido hoje pelo Chefe do Estado-Maior do Exército, General Nunes da Fonseca, nas instalações do Centro de Informação Geoespacial do Exército (CIGeoE).

No decorrer da visita e após a sessão de cumprimentos, na Sala de Honra, o Director do CIGeoE, Coronel Silva Perdigão, realizou uma apresentação que possibilitou ao Ministro da Defesa Nacional ficar a conhecer as principais actividades e capacidades do Centro, designadamente no domínio da Investigação, Desenvolvimento e Inovação (I&DI).

No âmbito da I&DI foi dado ênfase ao Sistema de Informação Geográfica de Apoio às Operações (SIGOp), um projecto concebido pelo Exército e que se constitui como a mais recente inovação ao nível das ferramentas de apoio ao conhecimento geoespacial para planeamento e condução de operações.

O programa contemplou, ainda, a apresentação de processos e projectos em curso no CIGeoE, nomeadamente a produção cartográfica nacional e internacional, bem como o apoio à comunidade civil e às operações militares, conduzidas dentro e fora do Território Nacional.

Marinheiro Marco Miguel conquista meia-maratona de Setúbal

(MGP)Pouco mais de uma semana depois de ser o sexto classificado no mundial de Duatlo, o atleta Marco Miguel, do Clube de Praças da Armada, venceu este domingo a meia-maratona de Setúbal com o tempo final de 01:11:56.

​​​Recorde-se que o militar da Marinha conquistou também recentemente a meia-maratona de Évora, a que se junta agora a de Setúbal, distrito de onde é natural.

Marco Miguel tem 28 anos e ingressou na Marinha em 2010, onde viria a despertar o seu interesse pela prática do desporto. O próximo objectivo é a participação no Campeonato Europeu de Duatlo, que se irá realizar em Julho na Roménia.​​

5 de maio de 2019

NRP Tejo comemora o seu terceiro aniversário

(MGP)O NRP Tejo, navio que dá nome à classe, é um navio de patrulha costeira, adquirido pelo Estado Português ao Reino da Dinamarca em 2015 e que depois de um processo de modernização nos estaleiros navais do Arsenal do Alfeite S.A. entrou ao serviço da Marinha a 5 de Maio de 2016.

Este navio da Marinha realiza essencialmente missões de interesse público como a busca e salvamento marítimo, patrulha e vigilância marítima e apoio a outras entidades do Estado. Desde que o NRP Tejo entrou ao serviço já percorreu mais de 37000 milhas náuticas (cerca de 69.000 Km) o que equivale a cerca de 90% da viagem de circum-navegação iniciada por Fernão de Magalhães há 500 anos atrás.

​​O NRP Tejo tem uma guarnição de 25 militares e encontra-se actualmente em missão na Zona Marítima da Madeira naquela que é a sua quarta comissão na região.​

4 de maio de 2019

Comandante das Forças Terrestres de França visita o Exército

(Exército)O Exército recebeu a visita do Comandante das Forças Terrestres do Exército francês, Tenente-General Vicent Guionie, no decurso da qual apresentou cumprimentos institucionais ao Chefe do Estado-Maior do Exército, General José Nunes da Fonseca.

A visita teve como finalidade primária aprofundar as relações bilaterais entre Portugal e França, no domínio da componente terrestre dos dois Exércitos tendo, neste contexto, sido acompanhado nas diversas actividades previstas no programa, pelo Vice-Chefe do Estado-Maior do Exército e Comandante das Forças Terrestres, Tenente-General Davide Guerra Pereira.

O programa da visita teve início no Comando das Forças Terrestres, local onde assistiu a uma apresentação focada na missão, na organização e atribuições e no emprego e treino da componente operacional do Exército Português.

Decorrente da estreita ligação entre as forças francesas e portuguesas presentes no Teatro de Operações da República Centro-Africana, missão que tem contado com diversas forças Comando, o programa incluiu, ainda, uma visita ao Regimento de Comandos, na Serra da Carregueira onde, após uma apresentação inicial da Unidade, assistiu a algumas atividades de treino operacional do Batalhão de Comandos e do Batalhão de Formação.

Esta iniciativa constituiu-se como um relevante contributo para incrementar os níveis de cooperação militar entre os dois Exércitos, designadamente no domínio da componente operacional.

3 de maio de 2019

Regressam da Polónia quatro F16 após dois meses de missão

(Emgfa)Despediram-se hoje da cidade de Malbork, Polónia, a Força Nacional Destacada composta por quatro aeronaves F16 MLU e respectivo destacamento de 55 militares da Força Aérea portuguesa, que operaram sob égide da NATO no âmbito das medidas de tranquilização do flanco Leste da Aliança.

Durante os dois meses de missão foram efectuadas mais de 350 horas de voo de treino operacional no âmbito das medidas de tranquilização na região. Exercitou-se uma força multidisciplinar nas várias vertentes do emprego do poder aéreo, foram efectuadas missões de treino ar-ar e ar-chão em apoio a diversas forças multinacionais destacadas na região.

Os militares portugueses exercitaram as capacidades operacionais dos seus pilotos de combate, que tiveram contacto com cenários de treino real, próximos do que é espectável encontrar em zonas de conflito, bem como a interoperabilidade com forças de 15 nações NATO aliadas ou parceiras, destacadas na região, voando no espaço aéreo de 5 países do Báltico (Polónia, Lituânia, Letónia, Estónia e Suécia).

Em terra, esta Força Nacional Destacada promoveu ainda em paralelo, acções de solidariedade direccionadas a instituições de integração de jovens carenciados e órfãos. Estas acções de solidariedade, reveladoras do que é o espírito português, só foram possíveis graças ao voluntarismo dos militares portugueses, que aderiram ao desafio com natural e genuína vontade de ajudar.

Nestes dois meses de operação, sempre pautados pela excelência e profissionalismo dos militares nacionais, merece nota de destaque o reconhecimento das autoridades polacas, que fizeram rasgados elogios ao desempenho operacional dos militares da Força Aérea Portuguesa.

Corrida e caminhada da Defesa Nacional

(MGP)O Grupo Recreativo, Desportivo e Cultural do Ministério da Defesa Nacional (GRDC-MDN), com o alto patrocínio do Ministro da Defesa Nacional, vai realizar no próximo dia 5 de Maio 2019, a 2.ª edição da Corrida e Caminhada da Defesa Nacional, em Lisboa.

Este evento desportivo, que conta o envolvimento de toda a estrutura da Defesa Nacional, Forças Armadas Portuguesas e Forças de Segurança, é marcado pela participação das Mulheres nas Forças Armadas e pela comemoração dos 70 anos de Portugal na Nato.

Para além do ato desportivo (10KM: Av. liberdade/Belém e caminhada 5KM: Belém) o dia será marcado pela demonstração de meios e actuações Militares, aberto ao público em geral desde as 11h30 até cerca das 17h30.

Assim, temos a honra de convidar a estar presente neste evento que une as Forças Armadas e de Segurança à população civil num ato desportivo.

Em pareceria com a Cruz Vermelha, temos o objectivo de apoiar as vítimas do ciclone de Moçambique, pelo que convidamos a participar na entrega de um donativo para esta causa.
As receitas obtidas no evento revertem, na sua maioria, para o Lar militar da CVP.

Venha correr, caminhar ou simplesmente assistir à demonstração de meios militares.
Informações e inscrições em: www.corridadadefesanacional.com - receba o seu KIT (T’shirt, saco e medalha)
Contamos com a sua presença!

2 de maio de 2019

Militares portugueses em missão no Afeganistão foram condecorados

(Exército)​Os militares do Exército da Quick Reaction Force (QRF) e do National Support Element (NSE) da 2.ª Força Nacional Destacada (2FND), no âmbito da Resolute Support Mission (RSM) no Afeganistão, foram condecorados, no dia 25 de Abril, com a Medalha NATO Non-Article 5 Afghanistan.

O Comandante do Aeroporto Internacional Hamid Karzai (HKIA), Brigadeiro-General Hasan Kanbur, presidiu à cerimónia de condecoração dos militares portugueses e no seu discurso realçou o excelente trabalho realizado nos últimos meses pelas Forças Portuguesas neste exigente Teatro de Operações, agradecendo e enaltecendo o excelente desempenho, profissionalismo e dedicação dos militares portugueses.

29 de abril de 2019

"LOBOS" EM OPERAÇÃO DE PATRULHAMENTO MARÍTIMO EM CABO VERDE

(FAP)Uma aeronave P-3C CUP+, da Esquadra 601 – “Lobos”, descolou de Beja rumo a Cabo Verde, no dia 26 de Abril, para participar na Operação Junction Rain 2019 (OJR19).

A OJR19 é uma operação trilateral de patrulhamento marítimo, na zona económica exclusiva de Cabo Verde. Além daquele país, conta com a participação de Portugal e dos Estados Unidos.

Com a aeronave dos “Lobos”, estarão 35 militares, destacados na Cidade da Praia, entre os dias 26 de Abril e 08 de maio.

25 de abril de 2019

Exército associa-se à comemoração do Dia Internacional dos Monumentos e Sítios

(Exército)O Exército Português, através do Museu Militar de Elvas que está integrado na Rede Portuguesa de Museus, associou-se à Direcção-Geral do Património Cultural na comemoração do Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, no dia 18 de Abril.

Este dia, criado em 1982, tem como objectivo de sensibilizar os cidadãos para a diversidade e vulnerabilidade do património, bem como para a necessidade da sua protecção e valorização. O tema escolhido este ano para as comemorações foi: “Património e Paisagem Rural".

O programa da visita guiada ao Museu Militar de Elvas, subordinada ao tema “A fortificação Abaluartada: A fronteira entre o Militar e o Rural", iniciou-se com uma explicação sobre a fortificação abaluartada, as suas obras exteriores, interiores e acessórias, seguida de uma visita à referida muralha, como parte integrante do complexo defensivo da cidade de “Elvas Património Mundial da UNESCO".

24 de abril de 2019

Navio patrulha “Figueira da Foz” vai treinar “guerra de minas” no Mediterrâneo

(Emgfa)O navio patrulha oceânico “Figueira da Foz”, da Marinha Portuguesa, partiu esta madrugada da Base Naval de Lisboa para participar no exercício SPANISH MINEX 19, realizado no âmbito da primeira activação deste ano da força naval europeia EUROMARFOR, de que fazem parte ainda Espanha, França e Itália. O navio da Marinha chega a Maó, na Ilha Menorca, Baleares, no próximo dia 27 de Abril, permanecendo no Mediterrâneo Ocidental até ao próximo dia 13 de maio. Esta Força marítima europeia é activada especificamente para o cumprimento de missões ou operações navais, aéreas e anfíbias.

O SPANISH MINEX é um exercício anual organizado pela Marinha espanhola, cujo objectivo é pôr em prática os procedimentos comuns para a defesa de portos contra a ameaça de minas e providenciar segurança aos navios mercantes.

A Força naval será constituída pelo navio “Figueira da Foz”, mergulhadores do Destacamento de Guerra de Minas e militares de apoio ao comandante do grupo tarefa EUROMARFOR, num total de 65 militares.

A missão de cada participante é manter as águas livres da ameaça de minas, harmonizando procedimentos e incrementando o grau de interoperabilidade com as restantes marinhas aliadas. As minas usadas neste exercício internacional são simuladas por dispositivos submarinos inertes amigos do ambiente que serão recolhidos quando a missão terminar.

Portugal assumiu a partir de 19 de Setembro de 2018, por um período de dois anos, o comando rotativo da EUROMARFOR, actualmente comandada pelo Vice-almirante Gouveia e Melo, Comandante Naval da Marinha Portuguesa. Esta força naval multinacional é activada especificamente para o cumprimento de missões ou operações navais, aéreas e anfíbias, podendo, num curto espaço de tempo, constituir-se como uma força pronta para actuar e ser empregue em missões humanitárias e de salvamento, manutenção da paz, de combate em gestão de crises e restabelecimento da paz.

23 de abril de 2019

Marinha recebeu a visita do Ministro da Costa do Marfim

(MGP)A visita decorreu no navio patrulha oceânico "Figueira da Foz", atracado na Base Naval de Lisboa e, de seguida, no Instituto Hidrográfico, e foi acompanhada pelo Chefe do Estado-Maior da Armada, almirante António Mendes Calado e pelo Comandante Naval, vice-almirante Henrique Gouveia e Melo.

Da comitiva do Ministro de Estado e Ministro da Defesa da Costa do Marfim faziam parte, entre outros, o embaixador em Portugal, Koffi Fana, e o Chefe do Estado-Maior da Marinha daquele país africano, contra-almirante N'Guessan Kouamé Célestin.​

17 de abril de 2019

DELEGAÇÃO DA NATO VISITA DESTACAMENTOS NA POLÓNIA

(FAP) A NATO Force Integration Unit na Polónia (NFIU Poland) visitou os destacamentos portugueses (P-3C CUP+ e F-16M) a participar na operação NATO Assurance Measures. O papel desta delegação é conhecer os meios aéreos e terrestres destacados naquele país, proporcionando suporte no estabelecimento dos contactos entre as várias unidades militares a operar na região.

A NFIU Poland, composta por quatro militares de diferentes nacionalidades (Itália, Alemanha, Holanda e Espanha), inteirou-se sobre o modo de operar dos destacamentos portugueses, com vista a melhorar a colaboração entre os diversos meios e organismos.

Nesta deslocação, ficou patente a importância da missão em curso na Polónia, na medida em permite treinar, de forma intensa e realista, a interoperabilidade entre os meios aéreos e os vários Multinational Battle Groups a operar no leste da Europa.

16 de abril de 2019

Dia da Marinha em Coimbra

O Dia da Marinha vai desembarcar em Coimbra! De 11 a 19 de Maio, traga a sua família e participe nas várias actividades que temos para si. Coimbra, o mar nunca esteve tão perto.

14 de abril de 2019

Brigada Mecanizada comemorou o seu 41.º aniversário

(Exército)Decorreu, no dia 11 de Abril, a cerimónia militar comemorativa do 41.º aniversário da Brigada Mecanizada (BrigMec), sediada no Campo Militar de Santa Margarida, local único em Portugal, que aloja a Brigada com as forças pesadas do Exército e que, na região, se constitui como uma comunidade militar integral que contribui para a mitigação dos efeitos da desertificação.

Presidida pelo Chefe do Estado-Maior do Exército, General Nunes da Fonseca, a cerimónia contemplou a formalização da geminação da Brigada Mecanizada com a Brigada “Extremadura XI”, do Exército de Espanha, com a troca simbólica de estandartes heráldicos entre as duas Brigadas e, posteriormente, com o descerramento de uma placa alusiva à ocasião no Quartel-General da BrigMec.

O Comandante da BrigMec, Brigadeiro-General Mendes Ferrão, no seu discurso, realçou “o excelente trabalho realizado no último ano, que permitiu o cabal cumprimento da missão da Brigada”, bem como “o contributo desta Grande Unidade para um Exército que se pretende Presente, Próximo, Competente e Solidário”. Ao referenciar a geminação com a Brigada “Extremadura XI”, relembrou que esta representa um fortalecimento da cooperação internacional, “fundamental para a garantia e manutenção da credibilidade da Brigada, que, desde a sua génese, se sustenta na sua eficácia operacional”.

O General CEME destacou que esta geminação traduz “inegáveis benefícios e enriquecimentos mútuos, envolvendo essencialmente a partilha de conhecimentos e experiências”. Congratulou a Brigada pela recente atribuição do Prémio Defesa Nacional e Ambiente, situação que considera revelar o seu “profissionalismo e espírito empreendedor, na liderança das preocupações ambientais do Exército”. Por fim, agradeceu e enalteceu os militares e civis que prestam serviço na BrigMec pelo cumprimento das mais diversas missões de apoio ao desenvolvimento e bem-estar das populações, no país e além-fronteiras, referenciando a Brigada como um “pilar fundamental da estrutura operacional, encimada pelo Comando das Forças Terrestres”.

As comemorações culminaram com a inauguração da Colecção Visitável da Brigada Mecanizada, que tem por tema “Um Campo, Uma Força, Um Compromisso!”. Esta colecção, disponível para ser visitada pelo público em geral, reúne um conjunto de imagens, vídeos, materiais e momentos que fazem parte da história do Campo Militar e dos homens e mulheres que serviram o Exército e a NATO em Santa Margarida.

12 de abril de 2019

Força naval portuguesa termina treino de resposta a cenários de crises

​​​​(MGP)A Força Naval Portuguesa envolveu cerca de 500 militares, integrando a fragata NRP Corte-Real (navio chefe), o reabastecedor NRP Bérrio e os navios de patrulha oceânica NRP Figueira da Foz e NRP Viana do Castelo, contando também com a participação da fragata RNM Sultan M. Ismail da Marinha Real de Marrocos. A sua actividade foi desenvolvida em águas nacionais, num cenário fictício de projecção para uma região assolada por elevada instabilidade social e política, cumprindo com uma determinação da comunidade internacional, e tendo como principal missão garantir a resposta rápida e eficaz em cenário de crise.

Durante cinco dias foi realizado um diversificado conjunto de exercícios desde as áreas convencionais (guerra de superfície, guerra antissubmarina e guerra anti-aérea), defesa contra ameaça assimétrica, operações de interdição marítima e embargo, exercícios de artilharia e exercícios de reabastecimento.

Com maior especificidade, foi realizado um desembarque anfíbio, projectando do mar para terra, uma força de fuzileiros com o objectivo de controlar um porto considerado essencial para a condução das operações, e, destaca-se ainda a concretização de uma abordagem e inspecção ao navio mercante Daytona, que, tendo colaborado no contexto deste exercício, permitiu uma oportunidade única de treino deste tipo de operação.

Acompanhando o desenvolvimento das ameaças que hoje se colocam nos teatros de operações, foram ainda realizados diversos exercícios de cyber defesa, testando a capacidade de reacção da força a ataques cibernéticos.

O principal objectivo estabelecido para o exercício INSTREX19/ALCANTARA19 foi o treino de operações litorais em grupo-tarefa promovendo as relações bilaterais com a Marinha Real de Marrocos e o United States Marine Corps. Considera-se que o objectivo foi amplamente atingido.

Exército representou Portugal no Exercício NATO-Geórgia 2019

(Exército) O exercício NATO-Geórgia 2019 decorreu entre 18 e 29 de março, nas instalações do NATO-Geórgia Joint Training and Evaluation Center, em Krtsanisi, nos arredores da capital georgina Tbilisi, no qual participou uma equipa de trabalho do Exército Português.

Este foi o primeiro exercício desenvolvido pela NATO fora do território dos seus Aliados, tendo sido programado pelo Allied Command Transformation (ACT), conduzido pelo Estado-Maior-General da Geórgia, com a orientação do Land Command, e dirigido, pela primeira vez, pelo NATO-Geórgia Joint Training and Evaluation Center (JTEC), assessorado pelo Joint Force Training Centre (JFTC).

Com o objectivo de melhorar o conhecimento mútuo e a coordenação das Forças Armadas, este exercício faz parte da actividade padrão, em tempo de paz, da Aliança com as nações parceiras da região, marcando, desta

forma, mais um passo na longa cooperação militar OTAN-Geórgia e reflectindo o compromisso mútuo numa defesa forte, interoperabilidade e abordagens partilhadas à segurança internacional.

É um exercício de nível táctico para o Comando e Estado-Maior de uma Brigada multinacional, na forma de exercício assistido por computador, (Computer Assisted Exercise – CAX) e do tipo de Postos de Comando (Command Post Exercise - CPX), que visa desenvolver a interoperabilidade das Forças Georgianas, Aliadas e Parceiras, assim como as capacidades georgianas de comando e controlo numa Operação de Resposta a Crise.

Participaram cerca de 350 militares e civis, provenientes de 21 países Aliados, designadamente Albânia, Bélgica, Bulgária, República Checa, Alemanha, Dinamarca, Estónia, França, Grécia, Hungria, Letónia, Lituânia, Países Baixos, Noruega, Polónia, Portugal, Roménia, Eslováquia, Turquia, Reino Unido, Estados Unidos e 3 países parceiros, o Azerbaijão, Geórgia e Suécia, assim como elementos de várias estruturas da NATO e outras organizações. De igual forma, contou com a participação de organismos humanitários intergovernamentais, tais como o International Committee of the Red Cross (CICV), o United Nations Department of Peacekeeping Operations (DPO) e a United Nations World Health Organization (WHO).

Mantendo o ciclo de planeamento trianual, está prevista a realização do próximo exercício NATO-Geórgia em 2022.

11 de abril de 2019

Portugal participa no maior exercício de ciberdefesa internacional

(Emgfa)Portugal, sob a coordenação do Centro de Ciberdefesa das Forças Armadas, participou entre os dias 9 e 11 de Abril, pela segunda vez, no exercício LOCKED SHIELDS, promovido e conduzido pelo NATO Cooperative Cyber Defence Center of Excelence (CCDCOE), em Talin, Estónia.

O exercício LOCKED SHIELDS, que conta com a participação de cerca de 30 nações, é o maior e mais complexo exercício de ciberdefesa de nível internacional. Com foco nos diversos níveis de actuação e decisão, este exercício desafia as equipas a responderem a incidentes ao nível técnico, que terão impacto directo no nível operacional de condução de uma operação militar, bem como ao nível de decisão estratégica, envolvendo ainda as componentes de apoio jurídico às operações no ciberespaço e apoio no âmbito da comunicação e relações públicas.

A participação nacional conta com mais de 40 elementos, no contexto da equipa de geometria variável, para fazer face às situações/ameaças no ciberespaço. Na sua maioria, a equipa portuguesa é composta por elementos das Forças Armadas. Localmente, na Estónia, encontra-se também uma representação de militares nacionais, para o acompanhamento das actividades de verificação do planeamento e de ações específicas de actividades no ciberespaço.

O LOCKED SHIELDS é um exercício de Red Team vs. Blue Team em tempo real, no qual as Blue Team, formadas pelas equipas de cada nação, são destacadas para o território de um país fictício para resolver um incidente cibernético de grande escala. Para além do desafio técnico que se apresenta com a necessidade de proteger e manter operacional uma infraestrutura tecnológica complexa, reportando e mitigando de forma eficaz os incidentes levantados pela Red Team, as Blue Team são ainda confrontadas com a necessidades de tomar decisões estratégicas, bem como na resolução de desafios forenses, legais e de comunicação e relações públicas.

No cenário do exercício é simulada a existência de uma ilha chamada Berylia que está a ultrapassar por uma situação de ameaça à sua segurança, no momento em que estão a ser conduzidas eleições no país. Nesta sequência, ao mesmo tempo que um conjunto de eventos hostis acontecem na ilha, são coordenados ataques cibernéticos contra os sistemas de informações civis desta. Estes ataques causam diferentes problemas nos sistemas de purificação de água, na rede eléctrica, na capacidade de controlo de tráfego marítimo e noutras infraestruturas essenciais, entre outros. Os resultados das eleições foram igualmente afetados por estes ataques. Neste seguimento, todos os participantes são ativados como equipa de reação rápida, para fazer face a esta ameaça cibernética e ajudar Berylia.

Da equipa portuguesa fazem ainda parte o Centro Nacional de Cibersegurança (CNCS), enquanto parceiro privilegiado para a garantia da segurança do ciberespaço, e as empresas CISCO Portugal, REDSHIFT Consulting e Dognaedis, numa ótica de colaboração estreita com componente da indústria para a partilha de conhecimentos e experiências.

9 de abril de 2019

Marinha treina cenários de instabilidade e insegurança

(MGP)O INSTREX19 é conduzido segundo um cenário de crise regional que requer a intervenção de uma força-tarefa multinacional para a realização de uma operação destinada a contribuir para a segurança, estabilidade e paz da região, ao abrigo de um mandato do Conselho de Segurança das Nações Unidas.

A Força Naval Portuguesa integra diversos meios da esquadra, nomeadamente, a fragata NRP Corte-Real (Navio-chefe), o reabastecedor NRP Bérrio e os navios de patrulha oceânica NRP Figueira da Foz e NRP Viana do Castelo, contando também com a participação da fragata Marroquina RNM Sultan M. Ismail.

A bordo do navio-chefe estará embarcado o Comandante da Força Naval Portuguesa, Capitão-de-mar-e-guerra João Paulo Silva Pereira, e respectivo Estado-Maior.
Os referidos meios irão operar com uma Força de Fuzileiros Nacional (Força de Desembarque), uma Força de Fuzileiros do U.S. Marine Corps, o Destacamento de Acções Especiais e diversas aeronaves da Força Aérea Portuguesa.

Sendo este o primeiro exercício naval de 2019, o INSTREX19/ALCANTARA19 permitirá desenvolver as competências do Estado-Maior da Força Naval Portuguesa para a condução de operações navais, o treino de operações anfíbias e operações especiais, e, a interoperabilidade com as Marinhas dos Estados Unidos e de Marrocos.

A Força Naval Portuguesa contará aproximadamente com 492 militares no teatro de operações.